segunda-feira, 14 de junho de 2021

Vacinação: a perseguição de Flávio Dino contra prefeitos maranhense

 

Enquanto usa o estoque de quase um milhão de vacinas retidas pelo governo estadual para medir forças com o prefeito Eduardo Braide, o governador Flávio Dino segue a perseguir prefeitos em meio ao cenário desolador da pandemia de COVID-19.

Ocorre que o governo Dino, desconsiderando a realidade das cidades maranhenses, está retendo doses das vacinas enviadas pelo governo federal apenas para satisfazer o desígnio persecutório do inquilino do Palácio dos Leões - com contrato a nove meses do fim e sem direito a renovação. 

Pelo menos 50 cidades maranhenses, de acordo com levantamento da última sexta-feira, estão com as vacinas a que tem direito, enviadas pelo Ministério da Saúde, retidas no porão da secretaria de Saúde. 

O governo, que deveria apenas distribuir o imunizante enviado pelo governo Bolsonaro, apreende as doses alegando que os municípios não alcançam uma meta subjetiva estipulada dentro cabeça confusa do governador. 

Não bastasse isso, o governo tem exposto à exaustão nas redes os gestores que não atingem a tal meta, em um ranking que acaba por queimar os prefeitos junto à população. 

Com quase dez mil mortes por COVID-19 apenas no Maranhão, o governo do estado optou pela estratégia cruel de reter vacinas, expor prefeitos e perseguir incansavelmente aqueles que considera adversários políticos.

Mas o troco será dado a Flávio Dino mais rápido do que ele espera. 

É aguardar e conferir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!!! Continue conosco!!!