segunda-feira, 14 de junho de 2021

Escândalo! Gestão Edivaldo Holanda recebeu 30 R$ Milhões do FUNDEB e PNAE por meio de relação de escolas comunitárias, dinheiro sumiu

Secretaria recebeu recursos para pagamentos de professores e merenda escolar; dinheiro sumiu

O ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que assistiu de camarote os escândalos de corrupção por desvios de dinheiro da secretaria de saúde com compras de máscaras por preços até 10 vezes paraticados pelo mercado, agora terá que se explicar pelo sumiço de cerca de R$ 30 Milhões que foram repassados pelo Ministério da Educação á secretaria municipal de educação.

O Blog vai trazer com exclusividade o esquema que funcionava com as demandas apresentadas pelas Escolas comunitárias e creches da Capital, junto a FNDE, FUNDEB e PNAE, as relações com nomes de crianças eram “enxertadas” pelas escolinhas, os milhões chegaram nos cofres da semed, mas as unidades escolares não receberam nenhum centavo. Tem escola que informa, o dinheiro vem e desde o começo da gestão Edivaldo Holanda Júnior, nunca receberam nada.

As planilhas, relações de escolas e documentos obtidos com exclusividade pelo Blog, tanto no Ministério da Educação, quanto na própria SEMED, vai desbaratar mais uma quadrilha que se instalou para desviar recursos na gestão Edivaldo Holanda Júnior.

7 comentários:

  1. enxertado??? de onde você tirou isso ?
    os repasses de merenda e Fundeb vem de acordo com a quantidade de alunos apresentados por meio do censo escolar . onde os alunos estão matriculados na escola .

    ResponderExcluir
  2. enxertar aluno?
    escolinhas?
    isso é um desrespeito com as escolas comunitárias que muito luta pela educação de qualidade. acho bom postar a realidade e não generalizar e muito menos desmerecer o trabalho das pessoas.

    ResponderExcluir
  3. É agente nem sabe se a creche tá gente no tá no pq eles pedem o censo agente envia e nuvem o esse dinheiro

    ResponderExcluir
  4. Bom dia!
    Sr. Felipe Mota, entendo e agradeço que o objetivo da matéria seja colaborar com as escolas comunitárias, para que estas possam continuar desempenhando um papel importante em benefício da comunidade, contudo, aproveito a oportunidade para retificar a sua fala que me enche de tristeza, no seguinte trecho:
    "as relações com nomes de crianças eram “enxertadas” pelas escolinhas". Como doe! Nesta sua fala as "escolinhas" são parceiras desta tamanha maldade!
    A necessidade de validar, e ainda assim não generalizar é de extrema grandiosidade, porque reconhece a luta diária de grandes profissionais renomados que se propõe, acima de tudo, por meio do amor, a dar o seu melhor para que o dia de amanhã possa ser oportuno para todos que participam deste árduo trabalho, lhe agradeço imensamente por nos ajudar no combate à corrupção, e chamar a atenção para nós, Escolas Comunitárias, mas é preciso nos conhecer, conhecer a nossa luta e principalmente nos respeitar!
    Atenciosamente,
    Maria Odete.

    ResponderExcluir
  5. Enquanto isso ....os professores sem receber os valores referente às sobras do Fundeb..O ano passado foi a primeira vez que isso ocorreu Causa-me estranheza o silêncio da atual gestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles estão se organizando pra ver como vão tirar dos recursos próprios, esses pagamentos, já que o ex não deixou.

      Excluir
  6. Não entendi o termo "enxertada"!!! A Escola Comunitária em que trabalhei por 6 anos, é uma escola organizada e muito comprometida com a educação, diferente da postura do ex-prefeito. Não recebemos 2018 e 2019, mas nunca deixamos de dar aulas,pois acreditamos que as crianças não têm responsabilidade do roubo descarado da gestão anterior.
    As Escolas Comunitárias merecem respeito.
    Mas se há ladrão nós bastidores, MP neles!!!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!!! Continue conosco!!!