quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Escândalo em Vitória do Mearim fez a PGJ abrir investigação contra Dídima Coelho

Empresas de fachadas devem levar a prefeita Dídima Coelho para trás das grades

Uma suspeita de lavagem de dinheiro e venda de notas fiscais motivou a Procuradoria Geral de Justiça – PGJ, a abrir investigação criminal para apurar prática de peculato (desvio de recursos públicos feito por funcionário público) pela prefeita de Vitória do Mearim, Dídima Coelho - MDB.

A investigação foi aberta a pedido do promotor de Justiça Carlos Henrique Menezes, para apurar atos ilícitos praticados por agentes políticos detentores de foro por prerrogativa de função.

O Blog recebeu denúncias e investigou uma série de contratos praticados com empresas de fachadas assinados na gestão de Dídima que vai clarear a investigação do Ministério Público. Contratos com as empresas em nome de Darlan Chaves Nunes Filho, Darthian de Sousa Nunes e a empresa Dom Duan LTDA, figuram como “cabeças” do esquema.

Na próxima postagem, após averiguação de documentação, o Blog publica com exclusividade os contratos que podem chegar a mais de R$ 40 Milhões.   

Um comentário:

  1. Não há empresa nem uma de fachada. Darlan Nunes é empresário e tudo que ele recebeu, prestou serviço e forneceu tudo que está nos contratos... Se os outros empresários da cidade não participam das licitações o problema é deles... Eles que se ajustem suas empresas para competirem... Sabemos bem o porque dessas denúncias nesse período... Querem prejudicar o tal Darlan e a prefeita... Mas não vão encontrar nada pois tudo foi feito mediante processos... Vão estudar para entender as coisas... Blogueiro de merda....

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!!! Continue conosco!!!