Assembleia Legislativa

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Novas mensagens mostram Moro irritado com investigação de Fernando Henrique Cardoso. Moro e Dallagnol nunca avaliaram a denúncia da Odebrecht
Se ainda há neste País, a moralidade tanto cobrada pelo Presidente e Jair Bolsonaro (PSL) e pelo próprio Sérgio Moro (PSL). Moro e Deltan Dallagnol já deveriam estar na cadeia. Isso porque o que se tinha dúvidas nos bastidores, agora já está mais do que provado para o mundo inteiro, que o ex-juiz e atual ministro da Justiça, forjou provas, manipulou parte da imprensa, forjou documentos, induziu testemunhas e modificou todo o contexto do processo do Triplex do Guarujá, para condenar o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. 
Ele tinha um único objetivo: impedir a candidatura do ex-presidente Lula da disputa presidencial de 2018.
As gotas de veneno, pingadas pouco a pouco pelo “The Intercept Brasil” revelam que algo mais sério está por vir até o envenenamento final de Moro e Dallagnol. A publicação de ontem à noite terça-feira (18), com novas mensagens atribuídas ao então juiz e a procuradores da Operação Lava Jato, mostra a canalhice e a facção na qual os membros da operação atuavam.
O diálogo, segundo o site, teria ocorrido em 13 de abril de 2017, um dia depois de o Jornal Nacional ter veiculado uma reportagem a respeito de suspeitas contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
A reportagem citada pelo site foi publicada no JN de 12 de abril e trouxe a delação de Emilio Odebrecht, que contou ter pago caixa dois às campanhas de FHC nos anos 1990 – ele foi eleito presidente em 1994 e reeleito em 1998. O caso foi parar na Lava Jato e nunca foi avaliada nem pelo procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, e muito menos do então juiz Sérgio Moro.
Ainda segundo as mensagens do site, Moro teria manifestado contrariedade com a decisão de investigar o caso em São Paulo mesmo já estando provavelmente prescrito, porque isso melindraria "alguém cujo apoio é importante".
O diálogo publicado pelo Intercept começa com uma mensagem atribuída a Moro e dirigida a Dallagnol. Eles conversam sobre o caso envolvendo FHC, que havia sido encaminhado de Brasília, onde tramitava pela Lava Jato de São Paulo.
Moro – 09:07:39 – Tem alguma coisa mesmo séria do FHC? O que vi na TV pareceu muito fraco?
Moro – 09:08:18 – Caixa 2 de 96?
Dallagnol – 10:50:42 – Em pp [princípio] sim, o que tem é mto fraco
Moro – 11:35:19 – Não estaria mais do que prescrito?
Dallagnol – 13:26:42 – Foi enviado pra SP sem se analisar prescrição
Dallagnol – 13:27:27 – Suponho que de propósito. Talvez para passar recado de imparcialidade
Moro – 13:52:51 – Ah, não sei. Acho questionável pois melindra alguém cujo apoio é importante
Esta nova revelação – na qual mostra irritação de Moro com encaminhamento de investigações contra Fernando Henrique Cardoso é a mais pura e prova que o ex-juiz atuava com viés político partidário com interesses em apoio futuro.
Portanto, em um País que se quer “passar a limpo” o ministro Sérgio Moro tem que ser afastado da função imediatamente, bem como os procuradores envolvidos na trama.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!!! Continue conosco!!!

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

ABRAJI

Parlamento Estudantil

Repórteres Sem Fronteiras

Repórteres Sem Fronteiras

Instituto Vladimir Herzog

Sarará Grill

Sarará Grill
Encontro de amigos com Churrasco, Futebol e Cerveja

Cotação do Dolar

Perfil

Contatos: 98 9121-1313
Whastapp: +55 98 9121-1313
Email: blogdofilipemota@gmail.com

Facebook