Assembleia Legislativa do Maranhão

Assembleia Legislativa do Maranhão
segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Terceira colocada no Maranhão, candidata do PSL recebeu apenas R$ 150 mil do partido; Já candidata laranja da legenda recebeu R$ 400 Mil do dinheiro público
No Maranhão, a candidata ao governo do estado pelo Partido Social Liberal – PSL, Maura Jorge foi a terceira colocada na eleição passada, ela representou a candidatura de Jair Bolsonaro, no estado, contudo, ela recebeu apenas R$ 150 Mil (Cento e Cinquenta Mil Reais), de contribuição partidária – revelação no último pleito, se tivesse sido mais apoiada pela sigla poderia ter ido muito mais longe.
Agora é sabido, após uma reportagem exclusiva da Folha de São Paulo, que o grupo do atual presidente do Partido Social Liberal, Luciano Bivar (PE), recém-eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, criou uma candidatura laranja em Pernambuco que recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público na eleição de 2018.
Segundo a Folha, a candidata laranja seria a senhora Maria de Lourdes Paixão de anos 68 de idade, que oficialmente concorreu ao cargo de deputada federal e obteve apenas 274 votos, foi o terceiro maior repasse de campanha com verba do PSL em todo o Brasil.
O dinheiro do fundo partidário do PSL foi enviado pela direção nacional da sigla para a conta da candidata em 3 de outubro, quatro dias antes da eleição. Na época, o hoje ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, era presidente interino da legenda e coordenador da campanha de Bolsonaro.
O grupo de Bivar é acusado também, por meio do ministro do Turismo no governo Bolsonaro, o deputado federal eleito, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), de patrocinar um esquema de candidaturas laranjas que direcionou verbas do PSL para empresas ligadas ao seu gabinete na Câmara.
No caso de Lourdes Paixão, a prestação de contas dela, que é secretária administrativa do PSL de Pernambuco, estado de Luciano Bivar, sustenta que ela gastou 95% desses R$ 400 mil em uma gráfica para a impressão de 9 milhões de santinhos e cerca de 1,7 milhão de adesivos, tudo às vésperas do dia que os brasileiros foram às urnas, em 7 de outubro. Tudo leva a crer que o material não foi apenas para a candidata de 200 votos.  
O LARANJAL DO PSL NÃO É COISA DE MULHER
Ouvido a respeito do escândalo de “candidatas fantasmas”, presidente do PSL prefere dizer que política não é assunto “muito da mulher”, e preferiu atacar a obrigatoriedade de haver 30% de candidaturas femininas. E apelou a uma teoria que deriva do “menino usa azul, menina usa rosa”, da estupefaciente ministra Damares Alves. Expeliu o seguinte requinte:
“Se os homens preferem mais política do que mulher, paciência. É a vocação. Se você fosse fazer uma eleição para bailarinos e colocasse uma cota de 50% para homens, você ia perder belíssimas bailarinas. Porque a vocação da mulher para bailarina é muito maior. É uma questão de vocação, querida. Eu não sei como é na sua casa, mas acho que seu pai seria candidato e sua mãe, não. Ela prefere outras coisas, ver o Jornal Nacional e criticar. Do que entrar pra vida partidária. Não é muito da mulher.”
Com informações do Zonas de Notícias - São Paulo / Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

Instituto Vladimir Herzog

Repórteres Sem Fronteiras

Repórteres Sem Fronteiras

ABRAJI

Cotação do Dolar

Perfil

Contatos: 98 9121-1313
Whastapp: +55 98 9121-1313
Email: blogdofilipemota@gmail.com

Facebook

Sarará Grill

Sarará Grill
Encontro de amigos com Churrasco, Futebol e Cerveja